Frameworks, mokups, fluxogramas, telas e muita mão no código! Nas últimas 30 horas o time do Hackaton NINJA, realizado em sua Casa Coletiva no Rio de Janeiro, imergiu no desenvolvimento de projetos de inovação vinculados a cultura, ativismo e comunicação. A maratona reuniu designers, UXs, desenvolvedores, gestores de projetos, empreendedores e produtores de conteúdo neste último final de semana, de 17 a 19 de maio.

No primeiro dia de Hackaton, foram apresentados os principais projetos de aplicativos que a Mídia NINJA vem desenvolvendo de mobilização social, envolvendo música, design, georreferenciamento, política, mídia e participação.

“A ideia é desenvolvermos coletivamente os projetos NINJA que já estão estruturados e que já validamos em nossa trajetória”, disse Branca Schulz, gestora da NINJA Hacker Space.

“São aplicativos que buscam empoderar a sociedade civil dentro de seus territórios, fazendo o cidadão se entender enquanto um ativista glocal, se conectando com o mundo e furando a bolha”.

Na dinâmica de maratona, foram dados 30h para o desenvolvimento desses aplicativos em plataforma mobile, separando times e organizando apresentações esporádicas para o restante da equipe. Participaram do hackaton tanto profissionais e estudantes da área de tecnologia selecionados por edital de inscrição, quanto parceiros convidados que já iniciaram o desenvolvimento destes projetos em parceria com a NINJA.

Foto: Mídia NINJA

Uma das mentoras que colaborou na condução da maratona foi a empreendedora Paula Marques, de São Paulo, que tem se somado à NINJA na elaboração da plataforma de música.

“Eu já conhecia o Fora do Eixo e me reaproximei esse ano, na Feira da Música de Fortaleza. A Feira gerou a Zona de Propulsão que foi uma experiência incrível”, disse Paula.

Clique aqui e veja como foi a Zona de Propulsão durante a Feira da Música em Fortaleza (CE) em fevereiro deste ano.

Desde então, a Zona de Propulsão ganhou força, tornando-se um importante centro tecnológico de desenvolvimento dos projetos NINJA, lançando o primeiro Hackaton do ano entre outros eventos.

Participaram ainda desenvolvedores atuantes em diversas áreas, como Aline Bezzoco, desenvolvedora que gere um projeto de ampliação do protagonismo de pessoas na tecnologia e criou o aplicativo “Tá Tudo Bem”, de prevenção ao suicídio. São Paulo esteve bem representada com um time de 8 participantes, desde programadores a integrantes do Design Ativista.

“Os projetos foram todos pensados a partir da lógica do software livre e montamos uma equipe pensando em aproximar e fortalecer uma comunidade de desenvolverdores e outros agentes, como UX, empreendedores”, disse Cláudia. “A ideia é que eles possam, a partir de seus territórios, colocar nos projetos a sua impressão digital, com participação e transparência”.

A agenda da Zona de Propulsão e NINJA Hacker Space não para. No próximo final de semana, São Paulo irá receber na sede do Idea Fixa o Encontro Design Ativista JAM que terá um foco específico no @designativista, um dos projetos mencionados no Hackaton NINJA. Outras imersões e encontros também já começam a ser planejados para divulgação em breve. Acompanhe!